NÃO IMPONHA

separação- despedida-4e7a06a40f1e7700d83187a0b29f6bc8 cópiaNão imponha carinho, não imponha abraços, não imponha amizade, não imponha amor.

Beijos roubados podem até ser saborosos, mas os consentidos é que são inesquecíveis.

Não imponha banquetes a quem passou a vida inteira recebendo migalhas. Tem gente que é feliz assim, numa eterna mendicância afetiva, e passaria até mal, se mudasse a “dieta”.

Não tente “vender seu peixe”, mesmo que você saiba que o seu “produto” é o melhor do mercado!

As pessoas não valorizam o que vem fácil e de graça, elas precisam ter a sensação de que viram primeiro, de que precisaram lutar ou pagar por aquilo.

Então, não se coloque numa vitrine nem numa prateleira.

Não imponha nada a ninguém.

Não imponha flores a quem ainda não entende a primavera.

Não imponha alegria a quem tem medo de sorrir.

Não imponha abrigo a quem se sente livre e confortável ao relento.

Deixe que as pessoas decidam ir ou ficar, sem chantagens, sem joguinhos, sem barganhas.

Seja feliz com o que você é, com o que você tem, com o que você construiu.

E, enquanto não aparece ninguém para perceber o seu valor e para usufruir do que você tem de melhor, consuma suas próprias verdades, alimente-se das suas próprias crenças e viva do seu amor próprio.

Lídia Vasconcelos

Sobre Lídia Vasconcelos

Professora de Língua Portuguesa, poeta e escritora de sonhos.
Esse post foi publicado em amizade, amor, Crônica, felicidade, Mensagem, Reflexão, vida e marcado , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s